ENREDO

Londres, 1947. Seretse Khama, estudante de direito e rei de Botsuana, e Ruth Williams, funcionária branca de uma loja de departamentos, apaixonam-se e, ao anunciarem o casamento, criam um escândalo mundial. Tanto o governo britânico, à época em forte aliança com a África do Sul e o seu apartheid, quanto o tio regente de Seretse, Tshekedi Khama, tentam proibir, em vão, a união. A perseguição discriminatória se amplia após o casamento, quando têm de viver no exílio.

FICHA TÉCNICA

A UNITED KINGDOM
REPÚBLICA CHECA-REINO UNIDO-EUA, 2016
Direção: AMMA ASANTE
Roteiro: Guy Hilbert/Susan Williams
Elenco: David Oyelowo, Rosamund Pike, Tom Felton, Jack Davenport e Laura Carmichael
Fotografia: Sam McCurdy
Montagem: Jonathan Amos/Jon Gregory
Música: Patrick Doyle
Drama verídico
111 minutos
12 anos
Diamond Filmes

O FILME E O DIRETOR

Adaptação do romance Colour Bar – the Triumph of Seretse Khama and His Nation, de Susan Williams, um dos mais combatidos casamentos interraciais da História moderna. Seretse Khama (1921-1980) e Ruth Williams (1923-2001) formaram um dos casais mais brilhantes que se tem notícia. Filmado em Botswana e Londres com um orçamento de US$ 20 milhões, é o terceiro trabalho da ghanesa Amma Asante, 48, de Emma (2013), que, coincidentemente, vice um casamento inter-racial.

AS PALAVRAS DE AMMA

EU QUERIA CONTAR ESSA GRANDE HISTÓRIA (…), MAS EU QUERIA MOSTRAR COMO ELA É PASSADA ATRAVÉS DO PRISMA DA HISTÓRIA MUITO PESSOAL DE SERETSE E RUTH. O QUE EU AMO SOBRE A HISTÓRIA, E POR QUE (…) ELA RESSOA HOJE, É VOCÊ PODER VER COMO GRANDES DECISÕES POLÍTICAS TÊM UM ENORME IMPACTO EM VIDAS COMUNS (…) ESTA MULHER SE APAIXONOU POR UM HOMEM QUE ELA NÃO TINHA IDEIA DE QUE IA SER UM REI. ELA SEGUIU O SEU CORAÇÃO E (…) AFASTOU-SE DE SUA REDE DE SEGURANÇA, PARA EXPLORAR ALGO NOVO E DIFERENTE, E DE REPENTE TODA ESSA POLÍTICA DESCEU SOBRE ELA DE UMA MANEIRA QUE NÃO CONSEGUIA IMAGINAR… E NEM ELE PODERIA
Amma Asante, cineasta

TRAILER

YOUTUBE

FOTOS

CIDADES E HORÁRIOS

DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA – 19h30
SÁBADOS E DOMINGOS – 14h

ESTREIA EM JUNHO

BARUERI/SÃO PAULO
CINÉPOLIS IGUATEMI ALPHAVILLE

FORTALEZA
CINÉPOLIS RIOMAR SHOPPING

RECIFE
CINÉPOLIS GUARARAPES SHOPPING

SALVADOR
CINÉPOLIS BELA VISTA

CRÍTICA ESTRANGEIRA

NO CINEMA MUITAS VEZES BRILHA UMA LUZ SOBRE AS HISTÓRIAS QUE PODERIAM TER SIDO PERDIDOS PARA A HISTÓRIA, E ISSO É CERTAMENTE VERDADE EM UM REINO UNIDO
Calvin Wilson, St. Louis Post Dispatch/EUA

É A SUA DEVOÇÃO TRANQUILA E DURADOURA E DIGNIDADE QUE DÃO A UM REINO UNIDO NÃO APENAS UM CENTRO ROMÂNTICO, MAS A SUA ALMA
Leah Greenblatt, Entertainment Weekly,

UM REINO UNIDO ATINGE TODAS AS NOTAS EMOCIONAIS NECESSÁRIAS E INTRIGA POLÍTICA DE UM SÓLIDO DRAMA DE QUADRO HISTÓRICO
Sarah Kurchak, Consequence and Sound/EUA

UM DRAMA HISTÓRICO RESISTENTE QUE FUNCIONA COMO UMA HISTÓRIA DE AMOR E UM APELO SURPREENDENTEMENTE OPORTUNO PARA A TOLERÂNCIA E COMPREENSÃO
Daniel Parsons, Super Reviewer

POR TODA A GRANDEZA VIBRANTE DO FILME, PORÉM, NOSSA ATENÇÃO É MANTIDA FORTEMENTE FOCADA NO ROMANCE DO CASAL CENTRAL, MESMO QUANDO ELES SÃO SEPARADOS POR GEOGRAFIA, ECONOMIA E POLÍTICA
Mike Kermode, The Observator/Inglaterra

É UMA TERNA HISTÓRIA DE AMOR QUE NUNCA É SUAVE EM SUAS PROVOCAÇÕES. É UM GRITO DESAFIANTE DO CORAÇÃO
Peter Travers, Rolling Stone/EUA

FAZ UMA LIÇÃO EFERVESCENTE DE HISTÓRIA SOBRE UM PAÍS E UM CASO DE AMOR QUE PREFIGUROU UMA MUDANÇA NUM CANTO DO MUNDO ONDE A NOTÍCIA, DURANTE DÉCADAS, FOI DOMINADA PELA VIOLÊNCIA, INJUSTIÇA E MEDO
Roger Moore, Film Nation/EUA

(…) OFERECE TANTO UMA EMOTIVA HISTÓRIA EMOCIONAL E UMA LIÇÃO SOMBRIA NA POLÍTICA EXTERNA BRITÂNICA DO SÉCULO 20
Wendy Ide, Screen International/EUA

(…) MAS ESTE FILME TEM SINCERIDADE, AUTO-CRENÇA, E UMA CONVICÇÃO FORA DE MODA DE QUE O AMOR CONQUISTA TUDO – EMBORA NÃO IMEDIATAMENTE
Peter Bradshaw, The Guardian/Ingleterra

A DIRETORA AMMA ASANTE ESTÁ ESCULPINDO UM NICHO PARA SI MESMA, FAZENDO UM CINEMA DE APARÊNCIA MAGNÍFICA A PARTIR DE HISTÓRIAS NÃO CONTADAS
Johanna Schneller, Globe and Mail/EUA

HONRA O AMOR EXTRAORDINÁRIO E INABALÁVEL DESTE CASAL EXTRAORDINÁRIO UM PELO OUTRO
Steve Davis, Austin Chronicle/EUA

PESAR DE TODAS AS SUAS NOBRES QUALIDADES, O FILME POSSUI UMA RIGIDEZ QUE O MANTÉM SEMPRE PLENAMENTE VIVO
Randy Cordova, Arizona Republic

CRÍTICA BRASILEIRA