ENREDO

Claire, uma parteira, exerce a profissão com muita paixão, mas preocupada maternidade está quase fechando, não quer trabalhar em um grande hospital e, além disso, o seu filho está enamorado e quase saindo de casa. Com a vida de cabeça para baixo, eis que retorna Beatrice, a extravagante ex-amante de seu falecido pai, da qual guarda mágoas. E a confusão em sua vida só aumenta.

FICHA TÉCNICA

SAGE FEMME
FRANÇA, 2017
Direção/Roteiro: MARTIN PROVOST
Elenco: Catherine Frot, Catherine Deneuve,e Mylène Demongeot e Olivier Gourmet
Fotografia: Yves Cape
Montagem: Albertine Lastera
Música: Grégoire Hetzel
Drama
1h57 minutos
10 anos
Mares Filmes

O FILME E O DIRETOR

Drama, sexto longa escrito e dirigido pelo francês Martin Provost, 60, ex-ator, escritor e cineasta, o terceiro a ser lançado comercialmente no Brasil – os anteriores Seraphina (2008) e Violette (2013). Lançado neste ano no Festival de Berlim, não levou prêmios, mas obteve análises positivas da crítica internacional ao abordar as diferenças entre diferentes gerações de mulheres.

AS PALAVRAS DE MARTIN

O PONTO DE PARTIDA É UMA HISTÓRIA QUE ME ACONTECEU PORQUE EU FUI SALVO POR UMA PARTEIRA NO NASCIMENTO. EU NÃO DEVERIA ESTAR VIVO. ELA ME DEU O SEU SANGUE, FINALMENTE, É UMA HISTÓRIA MUITO COMPLICADA, MAS UMA DAS CENAS DO FILME FALA UM POUCO SOBRE O QUE ACONTECEU COMIGO. EU QUERIA PRESTAR HOMENAGEM A UMA PROFISSÃO ABSOLUTAMENTE BONITA, A SEGUNDA PROFISSÃO MAIS ANTIGA DO MUNDO, COMO DIZEM, E QUE É MUITAS VEZES DEIXADA NAS SOMBRAS
Martin Provost, cineasta

TRAILER

YOUTUBE

FOTOS

CIDADES E HORÁRIOS

EM EXIBIÇÃO

DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA – 19h30
SÁBADOS/DOMINGOS – 14h
BARUERI/ALPHAVILLE
CINÉPOLIS IGUATEMI ALPHAVILLE SALA 1 

A OPINIÃO DA CRÍTICA

O DUO VIRTUOSO DÁ AO FILME RELEVO E DENSIDADE
Pierre Vavasseur, Le Parisien

A DELICADEZA QUE HÁ AO LONGO DO FILME TODO, NUNCA É REALÇADA. MAS ELA CERCA OS PERSONAGENS E SEUS INTÉRPRETES, PARTICULARMENTE, CLARO, AS DUAS CATHERINE. ELAS ESTÃO, AO MESMO TEMPO, ROMANESCAS E VERDADEIRAS, MAIS NATURAIS E BRILHANTES DO QUE NUNCA
Frédéric Strauss, Télérama

COM PEQUENOS TOQUES, COM UMA EVIDÊNCIA SUTIL E PROGRESSIVA, SEM RECORRER À MANIA DO FLASHBACK EXPLICATIVO, O CINEASTA BELGA CONSEGUE FAZER COM QUE SE ESQUEÇA DE ALGUMAS FACILIDADES PARA FAZER UM FILME SUAVE E SERENO, MENOS DOLOROSO DO QUE SE PODERIA TEMER
Christophe Narbonne, Première

PELA PRIMEIRA VEZ JUNTAS NA TELA, DENEUVE E FROT ENCARNAM MAGNIFICAMENTE ESSA HISTÓRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE TRANSMISSÃO
Direct Matin, França

MARTIN PROVOST ATINGE O ESTADO DE GRAÇA NUM LINDO FILME SENSÍVEL E ENTUSIASTA
Jacky Bornet, Culturebox – France Télévisions

MARTIN PROVOST FAZ UM LINDO FILME, SUTIL E ELEGANTE, LEVADO COM A MESMA FELICIDADE POR CATHERINE FROT E CATHERINE DENEUVE
Arnaud Schwartz, La Croix

O REENCONTRO DÁ PROVAS DE UMA VERDADEIRA ACUIDADE DOCUMENTAL […] E CONSEGUE MANTER UM DISCURSO SUTIL SOBRE A QUESTÃO DA PRECARIEDADE. […] EXTRAVAGANTE E MORDAZ (CATHERINE DENEUVE) ESTÁ EXCELENTE COMO DESORDEIRA GLAMOROSA
Emily Barnett, Les Inrockuptibles

CRÍTICA BRASILEIRA

UMA LIÇÃO SOBRE O PERDÃO… por DAVI GONÇALVES