ENREDO

O cineasta Guillaume Canet, 43, recebe uma crítica de uma atriz iniciante, de 20 anos, dizendo que ele não é e nunca foi tão “rock’n roll” quanto pensa ser. Ele surta e decide provar que está errada. Sua vida com Marion Coutillard e o filho, a casa de campo, os cavalos, os cabelos, avalia, lhe dão uma imagem cafona e não exatamente sexy… É hora de mudar. Para isso, com a ajuda de Marion, busca inspiração no rei do rock francês Johnny Hallyday

FICHA TÉCNICA

ROCK’N ROLL
FRANÇA, 2017
Direção: GUILLAUME CANET
Roteiro: Canet/Rodolphe Laupe/Philippe Lefebvre
Com Guillaume Canet, Marion Cotillard, Gilles Lellouche, Philippe Lefebvre e Ben Foster
Fotografia: Christophe Ofenstein
Montagem: Hervé de Luze
Música: Maxim Nucci
Comédia
2h03
14 anos
Mares Filmes

O FILME E O DIRETOR

Quinto longa da carreira do ex-ator (de Os Infiéis/2012, e O Homem que Elas Amavam Demais/2015), e roteirista Guillaume Canet, 44, como diretor. Casado com a atriz Marion Coutillard, com quem contracenou em Amor ou Consequência 92003), começou a dirigir curtas e séries de TV em 1996 e já fez os longas Meu Ídolo (2002), Não Conte a Ninguém (2006), Até a Eternidade (2010) e Laços de Sanque (2013), todos lanmçados no Brasil.

AS PALAVRAS DE GUILLAUME

Percebi que cada um dos meus filmes simbolizava períodos da minha vida (…) Aqui, eu queria rir, algo leve. Mas existe também uma forma de voltar ao básico, sim, porque eu comecei criando a comédia stand-up de Franck Dubosc Philippe Lefebvre, em início de carreira (…) Falando de mim, usando minha vida diária com uma atriz famosa, me parecia que tinha um bom catalisador para falar sobre as pessoas que se parecem muito
GUILLAUME CANET, cineasta

TRAILER

YOUTUBE

FOTOS

CIDADES E HORÁRIOS

SEM DATA DE ESTREIA

CIRCUITO A DEFINIR

OPINIÃO DA CRÍTICA

NESSA COMÉDIA ENGRAÇADÍSSIMA, GUILLAUME CANET ENCARNA SUA PRÓPRIA IMAGEM. (…) COM CERTEZA ROCK !
Femme Actuelle, fRANÇA

OSCILANDO ENTRE RISO E DRAMA, ROCK’N ROLL – POR TRÁS DA FAMA”, IMPRESSIONANTE DIGRESSÃO SOBRE O CULTO DA JUVENTUDE, O MEDO DE ENVELHECER E A IMAGEM QUE SE DÁ AOS OUTROS, É DINAMITADA POR UM ROTEIRO OUSADO E UMA FORMIDÁVEL LIBERDADE DE TOM
Renaud Baronian, Le Parisien

ESSE EXERCÍCIO DE AUTODESTRUIÇÃO TÃO POUCO FRANCÊS É UM PRAZER A VER, SOBRETUDO VINDO DE UM CINEASTA-ATOR QUE ENCARNA A ARISTOCRACIA DO NOSSO CINEMA. ESSE CANET NOS DEIXA PREVER O MELHOR PARA DEPOIS
Thomas Baurez, Studio Ciné Live

UMA COMÉDIA FURIOSA, COM UM TWIST FINAL TOTALMENTE LOUCO
Voici, França

GUILLAUME CANET NOS SERVE UM COQUETEL TÃO EXPLOSIVO QUANTO HILÁRIO SERVIDO POR ATORES DESENFREADOS. AUDACIOSO, ORIGINAL, ICONOCLASTA, ROCK’N ROLL – POR TRÁS DA FAMA FAZ A COMÉDIA À FRANCESA SOFRER UMA DIVERTIDA PLÁSTICA. JÁ ESTAVA NA HORA!
Alain Spira, Paris Match

CHEGA-SE À LINDA SÁTIRA DE UM MUNDO ONDE OS HOMENS E MULHERES, TÃO RIDÍCULOS QUANTO COMOVENTES, CONTINUAM DESESPERADAMENTE SUAS JUVENTUDES, PRESOS A UMA BOLHA QUE OS PROTEGE. FELIZES, SOZINHOS E FORA DE ALCANCE
Pierre Murat, Télérama

É QUANDO A FRONTEIRA ENTRE A FICÇÃO E A REALIDADE SE CONFUNDEM QUE SEU FILME É O MELHOR
Olivier Bousquet, VSD