ENREDO

Austrália, bosque da Tasmânia. Ian (Ian Meadows) e Samantha (Harriet Dyer) viajam para relaxar alguns dias num parque natural em um acampamento romântico. O casal encontra um acampamento isolado com apenas um carro e uma barraca vazia. À medida que anoitece e ninguém retorna, os dois passam a se preocupar. E quando descobrem uma criança vagando pela floresta, eles mergulham numa terrível cadeia de acontecimentos, que vai levá-los até o seu limite.

FICHA TÉCNICA

KILLING GROUND
AUSTRÁLIA, 2017
Direção/Roteiro: DAMIEN POWER
Elenco: Ian Meadows, Harriet Dyer, Aaron Pedersen e Aaron Glenane
Fotografia: Simon Chapman
Montagem: Katie Flaxman
Música: Leah Curtis
Suspense
88 minutos
12 anos
CineArt

O FILME E O DIRETOR

Thriller de suspense que marca a estreia de Damien Power, que realizou 6 curtas-metragens premiados em diversos festivais. Lançado mundialmente no Festival de Sundance, impactou crítica e público. Membro do Australian Film Classification Board (o equivalente australiano do quadro de classificação da MPAA dos EUA ou o BBFC do Reino Unido), Damien cria uma narrativa tensa e exasperante na qual a violência é apenas sugerida.

A PALAVRA DE POWER

(…) O PRÓPRIO GERME DA IDÉIA DESSE FILME ERA O DE UMA TENDA LARANJA, ESSA ERA A IMAGEM QUE SURGIU EM MINHA MENTE. E COMECEI A PENSAR, ONDE ESTÃO OS CAMPISTAS? O QUE ACONTECEU COM ELES? ISSO SUGERIU O ANTAGONISMO E (…) FOI QUANDO CRIEI OS PROTAGONISTAS (…). TODOS OUVIMOS HISTÓRIAS E VIMOS FILMES ONDE AS PESSOAS VÃO AO BOSQUE E COISAS RUINS ACONTECEM, ENTÃO VOCÊ TEM QUE TRAZER ALGO NOVO PARA A MESA E PARA MIM, PARTE DISSO FOI A ABERTURA NÃO-LINEAR, PORQUE ESSES FILMES SÃO GERALMENTE IMPLACAVELMENTE LINEAR
Damian Power, cineasta

TRAILER

YOUTUBE

FOTOS

CIDADES E HORÁRIOS

PREVISÃO DE ESTREIA
EM 31 DE AGOSTO

DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA – 19h30
SÁBADOS E DOMINGOS – 14h

CIRCUITO A DEFINIR

CRÍTICA ESTRANGEIRA

O GORE PODE SER NO MÍNIMO, MAS O FATOR DE FLUÊNCIA É PRONUNCIADO, E O SUSPENSE, PARA NÃO MENCIONAR AS SURPRESAS, O MANTERÁ NO LIMITE DO SEU ASSENTO E FORA DAS FLORESTAS PARA SEMPRE
Andrea Chase, Killer Movie Reviews

PODE SER UM POUCO SIMPLISTA TEMÁTICAMENTE, COM UMA MENSAGEM FINAL QUE É QUASE UM ASSÉDIO MORAL, MAS, ENQUANTO DURA, É UMA FREAK-OUT BEM INTENSA, COMBINANDO DUAS LINHAS DE TEMPO PARA NOS MANTER GELADOS ATÉ O OSSO
Rich Cline, Contactmusic.com

É INUSITADAMENTE ENERVANTE E PERTURBADOR, NÃO PARA VISÕES DE ALTO CONCEITO DE UM MUNDO DESAPONTADO OU FANTASIADO NOS FILMES DE HORROR E VIOLÊNCIA, MAS PELA PERCEPÇÃO IMPONENTE DE QUE TUDO ISSO REALMENTE PODE ACONTECER A QUALQUER PESSOA, EM QUALQUER LUGAR, A QUALQUER MOMENTO
Haleigh Foutch, Collider