ENREDO

França, Paris, 1941. O exército nazista desembarca no País, invadindo as ruas, casas e prédios, além de estradas e cidades, instalando o medo e a morte. As famílias abandonam os seus lares e fogem, outros ficam. Os pais de Joseph, de 10 anos, e Maurice Joffo, de 12, são enviados para Auschwitz e, sozinhos e sem proteção, são orientados a alcançar a fronteira com a Suiça. Durante a jornada, vivem experiências surpreendentes tentando escapar dos nazistas e alcançar a liberdade.

FICHA TÉCNICA

UN SAC DE BILLES
FRANÇA/CANADÁ/REPÚBLICA TCHECA, 2017
Direção: CHRISTIAN DUGUAY
Roteiro: baseado no romance homônimo de Joseph Joffo
Elenco: Dorian Le Clech, Batyste Fleurial, Patrick Bruel, Elsa Zylberstein e Kev Adams
Fotografia: Christophe Gaillot
Montagem: Olivier Gajan
Música: Armand Amar
Drama biográfico
110 minutos
10 anos

O FILME E O DIRETOR

Segunda adaptação (a anterior, de 1975 por Jacques Doillon) do romance clássico autobiográfico de Joseph Joffo, publicado na França em 1973 (no Brasil, Ed. Vestígio, com o título do filme). Best-seller instantâneo, teve tradução em 18 línguas e mais de 20 milhões de cópias vendidas. A Rue des Rosiers, no bairro judeu, se tornou famosa com o seu restaurante Goldenberg. Neste ano, também adaptado, A Viagem Fanny narra a história real de um grupo de crianças que também resistiu aos nazistas.

A PALAVRA DE DUGUAY

TIVE DE ENCONTRAR UM EIXO E OPTEI POR UM FILME POPULAR, DO PRISMA DAS CRIANÇAS QUE ASSUMEM UM OLHAR PARA O MUNDO QUE EVOLUI EM TORNO DELAS (…) AS CRIANÇAS SÃO TESTEMUNHAS DESTAS COISAS E MUITO PERTO DESTA REALIDADE. QUE RESSOA COM O QUE ESTÁ ACONTECENDO NA SÍRIA E PARA AS QUE ENCONTRAM-SE (…) CHORANDO NOS BRAÇOS DE SEUS PAIS, OU QUE DELES SERÃO SEPARADOS. É SOBRE NÓS, É AGORA
Christian Duguay, cineasta

TRAILER

YOUTUBE

FOTOS

CIDADES E HORÁRIOS

DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA – 19h30
SÁBADOS E DOMINGOS – 14h

CIRCUITO A DEFINIR

CRÍTICA ESTRANGEIRA

ESTE FILME DEVE SER VISTO. TRAZ À LUZ UM PERÍODO CONTURBADO DA HISTÓRIA DA FRANÇA
Michel Decoux-Derycke, 6néma/França

VÁRIOS COLEGAS NOS ENCORAJARAM A ASSISTIR. E NÃO NOS ARREPENDEMOS
Charles Declarq, Cineurope/França

E É A HUMANIDADE QUE EXALA NESTE FILME: O ESPÍRITO DE SOBREVIVÊNCIA QUE VIVE DENTRO DE CADA SER HUMANO, SEJA INIMIGO OU AMIGO. ALÉM DE SER UM CONTO DO HOLOCAUSTO, PS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS É, AUTOMATICAMENTE, TAMBÉM UM FILME DE APRENDIZADO (…) DE FRENTE PARA SEPARAÇÃO E TRAIÇÃO, AMOR E SACRIFÍCIO
Samantha Ruboni, silenzio in Sala/Itália

OS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS SERÁ UM DOS MEUS 20 MELHORES FILMES DE 2017. ESTOU SURPRESO DE NÃO ESTAR EM EXIBIÇÃO EM UM AMPLO CIRCUITO. SE VOCÊ PUDER, VÁ A UM DOS CINEMAS QUE O EXIBEM. É UM CONTO NOTÁVEL DE SOBREVIVÊNCIA E UMA FANTÁSTICA E PRECISA VISÃO DA DEVASTADORA 2ª SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Jason King, PopCorn/Austrália

CRÍTICA BRASILEIRA

UM BELO FILME… por ALESSANDRA OGEDA

IRMANDADE E HUMANIDADE EM TEMPOS DE GUERRA… por LUÍS SANTIAGO