ENREDO

Inglaterra, 1887. O indiano Abdul Kareem, 24, chega à Londres para apresentar à Rainha Victoria, 68, na celebração de seu Jubileu de Ouro, uma moeda criada em sua homenagem e, surpreendentemente, conquista a sua simpatia. O que ela viu naquele jovem simples e sem posses para apegar-se de maneira maternal a ponto de solicitar que ele seja o seu conselheiro? A decisão gera na corte um clima de insatisfação e preconceito contra o estrangeiro, principalmente por ser muçulmano.

FICHA TÉCNICA

VICTORIA AND ABDUL
REINO UNIDO/Inglaterra–EUA, 2017
Direção: STEPHEN FREARS
Roteiro: Lee Hall, baseado no romance de Shrabani Basu
Elenco: Judi Dench, Ali Fazal, Eddie Izzard, Tim Piggot-Smith e Olivia Williams
Fotografia: Danny Cohen
Montagem: Melanie Ann Oliver
Música: Thomas Newman
Drama histórico
111 minutos
Universal Pictures

O FILME E O DIRETOR

Drama baseado em fato real exposto no romance Victoria & Abdul: the True Story of the Queen’s Closest Confidant, do indiano Shrabani Basu. À época, a rainha britânica, com base na colonização, governava ¼ do planeta, e Karim era um indiano alto, bonito e por sua educação e inteligência, em um ano foi estabelecido como uma figura poderosa na corte, tornando-se o Munshi (professor) da rainha, revelando-lhe pratos deliciosos e instruindo-a nos assuntos urdu e indianos. 23º longa do inglês Stephen Arthur Frears, 76, realizador de Minha Addorável Lavanderia (1985), Ligações Perigosas (1988), Herói por Acidente (1990), A Rainha (2006), Philomena (2013) e Florence: quem é Essa Mulher (2016).

AS PALAVRA DE STEPHEN

EU LI O ROTEIRO, ERA MUITO ENGRAÇADO, MUITO BEM ESCRITO E DEPOIS ESSA HISTÓRIA DE TOLERÂNCIA É UMA HISTÓRIA QUE EU NÃO CONHECIA E (…) ENTÃO TINHA TUDO O QUE EU GOSTAVA. BOAS BRINCADEIRAS! EU DISSE QUE SÓ CONSEGUIRIA (FAZER O FILME) COM JUDI. NÃO HÁ NADA DE MISTERIOSO SOBRE ISSO PORQUE ELA É PERFEITA – ELA TEM A AUTORIDADE DE INTERPRETAR A MULHER MAIS PODEROSA DO MUNDO, ALÉM DE SUAS TÃO MARAVILHOSAS QUALIDADES HUMANAS. EU APENAS ESPERO QUE AS PESSOAS TENHAM UM ÓTIMO MOMENTO COM O FILME. NÃO SEI SE VAI TORNAR O MUNDO UM LUGAR MELHOR, ESPERO QUE SIM. QUANDO DONALD TRUMP VÊ-LO, ELE PODE MUDAR. EU NÃO ACHO QUE ELE VÁ ASSISTI-LO, MAS DEVERIA
Stephen Frears, cineasta

TRAILER

YOUTUBE

FOTOS

CIDADES E HORÁRIOS

ESTREIA EM 19 DE NOVEMBRO

DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA – 19h
SÁBADOS E DOMINGOS – 14h

FORTALEZA
CINÉPOLIS RIOMAR PAPICU

RECIFE
CINÉPOLIS GUARARAPES

SALVADOR
CINÉPOLIS BELA VISTA

CRÍTICA ESTRANGEIRA

VALE A PENA VER O DESEMPENHO MAGISTRAL DE DENCH E O TOQUE DE DIREÇÃO LEVE E SUAVE DE FREARS
Christopher Orr, the atlantic/EUA

CABE AOS HISTORIADORES AVALIAR A PRECISÃO DESSE FILME ENGRAÇADO E ENCANTADOR COM OS DETALHES DOS ÚLTIMOS ANOS DA RAINHA VICTORIA, MAS O USO DA LICENÇA POÉTICA É IMPECÁVEL
Colin Covert, Minneapolis Star Tribune

FREARS NÃO ESTÁ APENAS CONTANDO UMA HISTÓRIA AGRADÁVEL SOBRE UMA AMIZADE INCOMUM; ELE ESTÁ NOS PEDINDO QUE VEJAMOS SE EVOLUÍMOS EM 120 ANOS COMO ACREDITAMOS QUE TEMOS. A PERGUNTA PERMANECE APÓS O TÉRMINO DO FILME
James Berardinelli, ReelViews

UMA OBRA ENCANTADORA SOBRE A AMIZADE
Frederic e Mary Ann Brussat, Spirituality and Pratic

É UMA HISTÓRIA FASCINANTE COM ESPECIAL RELEVÂNCIA CONTEMPORÂNEA. E AINDA PODERIA SER MELHOR
Bill Goodykoontz, Arizona Republic/EUA

(…) TAMBÉM É UM DOS FILMES QUE VOCÊ DEFINITIVAMENTE PRECISA VER
Matthew Bond, Daily Mail/Inglaterra

SEM DÚVIDA ENCANTADOR
José Martín, El antepenúltimo Mohicano/Espanha

VICTORIA & ABDUL É ATRAENTE, E AS OBSERVAÇÕES SÃO EXCELENTES
Max Weiss, Baltimore Magazine/EUA

VICTORIA & ABDUL EXPRESSA UM SENTIMENTO ANTI-COLONIAL
Owen Gleiberman, Variety/EUA

CRÍTICA BRASILEIRA

AINDA NÃO ANÁLISES CRÍTICAS NA IMPRENSA