ENREDO

Fronteira México-EUA. Acompanhado por um grupo de mexicanos e latinos, Moises (Bernal) tenta atravessar a pé a divisa, buscando uma nova vida nos EUA. Na travessia eles se deparam com um homem solitário e intolerante, Sam (Morgan), que patrulha a fronteira por sua própria conta e, por ódio aos imigrantes, se diverte em caçar e matar os imigrantes. Caçados de forma implacável, todos terão de achar um jeito de sobreviver nessa paisagem incrivelmente brutal cujo deserto está pronto para consumi-los.

FICHA TÉCNICA

DESIERTO
EUA/MÉXICO/FRANÇA, 2015
Direção/Montagem: JONAS CUARON
Roteiro: Cuarón/Mateo Garcia
Elenco: Gael García Bernal, Jeffrey Dean Morgan, Alondra Hidalgo e Diego Cataño
Fotografia: Damián García
Música: Woodkid
Drama/Thriller
88 minutos
Esfera Cultural

O FILME E O DIRETOR

Prêmio da Crítica do Festival de Toronto-2015 e Melhor Filme do Festival de Havana-2016, 2º longa de Jonás Cuarón, 37, filho de Alfonso Cuaron, 57, o realizador de Gravidade (2013). Inspirado em filmes como O Salário do Medo (1953, Henri-Georges Clouzot), Um Condenado à Morte Escapou (1956, Robert Bresson), Encurralado (1971, Steven Spielberg), e no Minutemen Project, grupo de vigilantes estadunidenses que com armas de longo alcance caça e executa imigrantes na fronteira com o México, levou 7 anos para ficar pronto.

A PALAVRA DE JONAS

MEU DESEJO FOI CRIAR UM FILME QUE ENVOLVESSE O PÚBLICO DE UMA FORMA VISCERAL, QUE FOSSE UMA EXPERIÊNCIA CATÁRTICA, E QUE AO MESMO TEMPO PERMITISSE REFLETIR SOBRE UM TEMA TÃO COMPLICADO COMO A IMIGRAÇÃO. O DESERTO NÃO CONHECE NACIONALIDADES, PAÍSES NEM FRONTEIRAS. ALI, TODOS SÃO IGUAIS, E SÃO TANTOS OS PERIGOS QUE NÃO CONSEGUIA TIRAR ESSA HISTÓRIA DA CABEÇA, PRECISAVA CONTÁ-LA (…) ESTE DESERTO, QUE FIQUE BEM CLARO, É UMA METÁFORA DO QUE SENTEM ESSAS PESSOAS QUE DECIDEM DEIXAR SUAS CIDADES E SUAS FAMÍLIAS (…). FAZ TEMPO QUE A IMIGRAÇÃO É TRATADA COMO UM PROBLEMA. NÃO É UM PROBLEMA, É UM FENÔMENO
Jonás Cuarón, cineasta

TRAILER

YOUTUBE

FOTOS

CIDADES E HORÁRIOS

BREVE

DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA – 19h30
SÁBADOS E DOMINGOS – 14h

CINEMAS A DEFINIR

CRÍTICA ESTRANGEIRA

UMA RESPOSTA CINEMATOGRÁFICA AO DISCURSO DE DONALD TRUMP
CNN/EUA

CUARÓN CRIOU UMA EXPERIÊNCIA CINEMATOGRÁFICA DELICIOSAMENTE GRATIFICANTE. ESTEJA PRONTO PARA SURPRESAS. ESTEJA PREPARADO PARA MORDER AS UNHAS. E CUIDADO COM O CACHORRO
Cameron Bailey, TIFF

DÊ CRÉDITO A DESERTO POR ISSO: NUNCA HOUVE UM MOMENTO MAIS APROPRIADO PARA UM THRILLER TENSO SOBRE IMIGRANTES MEXICANOS EVITANDO OS ATAQUES ASSASSINOS DE UM LUNÁTICO NORTE-AMERICANO ARMADO
Eric Kohn, indieWire/EUA

UM THRILLER GENÉRICO ENVOLVIDO EM EMBALAGENS POLÍTICAS. ESSA EMBALAGEM ÀS VEZES É MAIS INTERESSANTE DO QUE AS EMOÇÕES
Katie Walsh, Los Angeles Times/EUA

VOCÊ NÃO PRECISA SE ESFORÇAR PARA DETECTAR UMA EXPOSIÇÃO POLÍTICA PARA A HISTÓRIA
Jason Best, Movie Tal/EUA

DESERTO É UM THRILLER DE SOBREVIVÊNCIA BRUTAL, IMPLACÁVEL E IMPACTANTE QUE EXPLODE COM ENERGIA PRIMORDIAL
James Mottram, South China Morning Post

UMA NARRATIVA DE TENSÃO E ESPETÁCULO DE AÇÃO EFICAZ
Francisco Marinero, El Mundo/Espanha

RÁPIDO, PRIMORDIAL E IMPLACÁVEL
Variety/EUA

CRÍTICA BRASILEIRA

INÉDITO NOS CINEMAS, NÃO HÁ AINDA CRÍTICAS NA IMPRENSA DO PÁIS